MÉTODO

O curso acontecerá “presencial” no Museu de Arte Sacra.

OBJETIVO GERAL:

O objetivo do curso é apresentar um estudo sobre o Império no Brasil, o Segundo Reinado e a família real brasileira, discutindo as formas que os valores de nobreza e de corte assumiram na sociedade brasileira do século XIX. O curso pretende discutir as transformações ocorridas no Brasil com a presença da corte no Rio de Janeiro, a movimentação de personalidades, intelectuais e artistas para atender as demandas da família real e da nobreza. O curso pretende entender ainda o papel político dessas pessoas e a criação da imagem de um Estado diferenciado frente às repúblicas nascentes da América. Para isso, aborda temas como a relação com as cortes europeias, os casamentos da realeza, as políticas de controle de condutas, as práticas culturais e a construção das identidades

CONTEÚDO:

09 de março de 2022
AULA 1 – D. Pedro II
Apelidado de “O Magnânimo”, foi o segundo e último governante do Império Brasileiro, sobre o qual reinou por mais de 58 anos. Membro da Casa de Bragança, é o sétimo filho do imperador Pedro I e da Imperatriz Maria Leopoldina da Áustria. A repentina abdicação e a partida de seu pai para a Europa, em 1831, o deixou sozinho com duas de suas irmãs, aos cinco anos. Obrigado a passar o tempo aprendendo seu ofício, o jovem soberano conhece apenas breves momentos de felicidade e de encontros com alguns amigos de sua idade. Suas experiências de intriga judicial e conflito político durante este período afetaram fortemente seu caráter. A historiografia costuma retratá-lo como um homem de forte senso de dever e dedicação ao seu país e ao seu povo, mas que não vive à altura de seu papel como monarca.

16 de março de 2022
AULA 2 – Teresa Cristina das Duas Sicílias
Filha do rei Francisco I das Duas Sicílias, Teresa Cristina tornou-se órfã com a idade de oito anos. Negligenciada por sua mãe, a Infanta Maria-Isabel da Espanha, foi criada em um ambiente conservador e desenvolveu um caráter tímido e retraído. Vinte e dois anos e dotada de um físico pouco favorável, em 1843, concluiu um casamento de prestígio com o jovem imperador Pedro II do Brasil. O casamento ocorre por procuração em Nápoles. Porém, o primeiro encontro dos dois jovens, no Rio de Janeiro, não é feliz e o soberano se sente constrangido ao descobrir a aparência de sua noiva. Com o passar do tempo, uma verdadeira cumplicidade acaba unindo o casal e quatro filhos nascem dessa relação.

23 de março de 2022
AULA 3 – D Maria II: Rainha de Portugal e irmã de D. Pedro II
Maria II nasceu em 1819 no Palácio de São Cristóvão no Rio de Janeiro, Reino do Brasil. Ela era a filha mais velha do Príncipe Pedro de Alcântara, futuro Rei de Portugal como Pedro IV e primeiro Imperador do Brasil como Pedro I, e sua primeira esposa Maria Leopoldina (nascida Arquiduquesa Caroline Josepha Leopoldina da Áustria), ela mesma filha de Francisco II do Sacro Imperador Romano. Ela foi intitulada Princesa da Beira ao nascer. Maria foi a única monarca europeia a ter nascido fora da Europa.

30 de março de 2022
AULA 4 – As irmãs de D. Pedro II: D. Francisca e D. Januária
Francisca de Bragança, Princesa do Brasil, nasceu em 1824 no Rio de Janeiro e morreu em Paris. Filha do imperador Pedro I e da arquiduquesa Maria Leopoldina da Áustria. Ela é, por seu casamento com Francisco de Orleans, princesa de Joinville e membro da Casa de Orléans. Januária de Bragança, também Princesa Imperial do Brasil, Infanta de Portugal, e, por seu casamento, Condessa de Áquila e Princesa das Duas Sicílias. Depois que seu pai foi proclamado imperador do Brasil, a menina recebe o apelido de “princesa da independência”.

06 de abril de 2022

AULA 5 – A Família Real e a vida doméstica

Família e vida doméstica; as filhas de D. Pedro II e os espaços de sociabilidade. Princesa Isabel e Princesa Leopoldina. Vida privada e ordem privada no Império. O projeto civilizador: educação, religião, casamento e trabalho. As políticas de controle de condutas. Práticas culturais e a construção das identidades.  O Paço da Cidade; o Palácio São Cristóvão e a Quinta da Boa Vista; a fazenda de Santa Cruz e o palácio em Petrópolis.

27 de abril de 2022
AULA 6 – Condessa de Barral
Luísa Margarida de Barros Portugal, mais tarde Condessa de Barral, foi uma nobre e cortesã brasileira, preceptora das princesas Isabel e Leopoldina, supostamente o maior interesse amoroso de Pedro II do Brasil e frequentadora da corte de Luis Felipe da França. Em 1855, após o casamento do imperador com Teresa Cristina das Duas Sicílias, foi nomeada dama de companhia da imperatriz. Ela foi descrita com uma personalidade dominante e contundente, que a tornou uma das principais figuras da vida na corte brasileira. Muitas vezes liberal, também era uma católica fervorosa e de natureza intelectual notável, reunindo um círculo de intelectuais e artistas ao seu redor.

04 de maio de 2022
AULA 7 – A Família Real brasileira e a casa real francesa
Casamentos, correspondências e modelos para a monarquia brasileira. Luis Felipe é o último monarca a ter reinado na França, entre 1830 a 1848, com o título de “rei dos franceses”. Muito menos tradicionalista do que seus antecessores, ele representou um importante ponto de inflexão na concepção e na imagem da realeza na França. Dezoito anos à frente de um reino em profundas mudanças sociais, econômicas e políticas, Luís Felipe tentou pacificar uma nação profundamente dividida com as armas de seu tempo: estabelecimento de um regime parlamentar e ascensão da burguesia. O ramo mais jovem dos Bourbons, foi entronizado rei dos franceses. Seu reinado, iniciado com as barricadas da revolução de 1830, terminou em 1848 com outras barricadas, que estabeleceram a Segunda República.

11 de maio de 2022
AULA 08 –  A nobreza no Brasil
Vida de corte:  Sociedade e cultura. Políticos, literatos e viajantes: as interpretações do Brasil. Consolidação e expansão da economia cafeeira. A vida nas cidades e sua relação com o campo. Os palacetes. A nobreza. A experiência de trabalhadores livres, agregados e dependentes. Práticas sociais do mundo feminino. A situação das antigas regiões de mineração de ouro. O interior e o Campo. O mundo rural e o clientelismo. A inserção nos quadros do capitalismo liberal e os desequilíbrios regionais.

18 de maio de 2022
AULA 09 – O Império Brasileiro e as Repúblicas da América Latina
Como o Brasil do século XIX criou a imagem das novas repúblicas da América para si. Qual a imagem que a América criou sobre o Brasil. Outros projetos monárquicos na América Latina. Como foi criado o conceito de “América Latina”.

 25 de maio de 2022
AULA 10 – Princesa Isabel e Conde d’Eu
Isabel do Brasil nascida no Rio de Janeiro e morreu no castelo d’Eu, na França, em 1921. Foi princesa herdeira do Brasil, regente três vezes e então candidata ao trono. Assinou a Lei Áurea em 1888. Por seu casamento com o Príncipe Gaston d’Orléans, Conde d’Eu, neto do Rei dos Franceses, era Condessa d’Eu. Liberalismo e escravidão. A questão racial, o conceito de civilização e os embates na sociedade brasileira. O abolicionismo e a abolição da escravidão: pensamentos e articulações.

 01 de junho de 2022
AULA 11 – Príncipe Pedro Augusto:  projetos políticos, republicanismo e o fim do regime monárquico
O mais velho dos netos do imperador Pedro II do Brasil, permaneceu seu herdeiro aparente de 1866 até o nascimento de seu primo. Pedro não admite ter sido rebaixado na ordem de sucessão ao trono. Pedro sempre prosseguiu com seus projetos monarquistas pessoais. Em 1889, com a queda da monarquia brasileira, volta para a Europa com sua família. A morte de seus avós em 1889 e 1891 perturba a saúde mental do príncipe. Seu estado exigiu sua internação e permaneceu, até sua morte em 1934, internado na Áustria.

08 de junho de 2022
AULA 12 Utopias e distopias do fim do Império: a Proclamação da República
O Manifesto Republicano de 1870: as ideias e o movimento republicano. Pouco menos de um ano após a abolição, a monarquia brasileira entrou em colapso. Inspirados pelos radicais positivistas e apoiados por fazendeiros escravocratas, os militares depuseram o gabinete do visconde de Ouro Preto. A família real é forçada a deixar o Brasil secretamente. A morte de D. Pedro II e D. Teresa Cristina. A Princesa Isabel no castelo da família na Normandia. O palacete D’Eu como uma embaixada brasileira informal. A descendência da família Bragança e os aspirantes ao trono.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  • Compreender a representação da corte no Brasil.
  • Contextualizar o papel das personalidades da família real brasileira do Segundo Reinado.
  • Entender a difusão da cultura e da etiqueta por meio dos salões, dos rituais e das celebrações no Brasil do século XIX.
  • Apresentar a etiqueta, a moda e o refinamento dos gostos como material reflexivo para o entendimento da cultura;
  • Analisar, criticar e contextualizar a cultura e o convívio político por meio das regras sociais de comportamento de uma sociedade monárquica;
  • Modelos, tratados, protocolos, vestuário, etiqueta e o uso dos diversos discursos e as melhores ações para determinadas situações, ocasiões de convívio e resoluções de conflitos no período monárquico
  • Escolher temas específicos para diversos trabalhos de pesquisa e estimular a produção de projetos em que a utilização da arte neoclássica esteja presente.

 A quem se destina:

O conteúdo oferece embasamento para estudiosos da arte e da cultura, historiadores, profissionais ligados à literatura e comunicação social, pesquisadores, professores que pretendam desenvolver o tema em sala de aula, profissionais de todas as áreas, estudantes universitários e interessados em geral.

Professor:

Marcos Horácio Gomes Dias é Doutor em História Social pela PUC-SP; Mestre em História Social pela USP; pós-graduado em Arte e Cultura Barroca pelo Instituto de Filosofia, Arte e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e Bacharel em Ciências Sociais pela USP. Tem experiência na área de História e Sociologia, com ênfase em História, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Arte; História do Barroco e do Rococó; Arte e Cultura em Minas Gerais; Neoclássico, Império e século XIX no Brasil; Teoria da Cultura; Patrimônio Histórico; História da Produção da Imagem; Teoria da Comunicação e Realidade Socioeconômica e Política Brasileira.

Datas: de 09 de março à 08 de junho de 2022 (quartas-feiras)
12 dias de aulas
Aulas: 19h00 às 21h30.
Carga horária: 36 horas
Valor: R$ 600,00 à vista ou R$ 690,00 (03 vezes)
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Instituição: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Metrô Tiradentes
Estacionamento gratuito – Rua Jorge Miranda, 43 – Luz

As aulas serão presenciais

No final do curso o aluno receberá o certificado emitido pela plataforma.

Avaliações do Curso

N.D

classificações
  • 5 estrelas0
  • 4 estrelas0
  • 3 estrelas0
  • 2 estrelas0
  • 1 estrelas0

Nenhuma avaliação foi encontrada para este curso.

0 ALUNOS INSCRITOS

    Buscar Cursos

    Museu de Arte Sacra de São Paulo © 2020.