MÉTODO

O curso será presencial no Museu de Arte Sacra de São Paulo

 

OBJETIVO GERAL

As obras de arte do Renascimento e do Barroco possibilitavam a construção de um discurso intelectual sofisticado por meio de símbolos e alegorias que ofereciam várias possibilidades de interpretação e que representavam inclusive princípios heréticos e ocultos. Os temas religiosos, principalmente, ofereciam possibilidades combinatórias diversas, pois eram ricos em sentidos e significações. No Brasil, esses elementos ocultos eram submetidos às interpretações religiosas cristãs e misturados às tradições indígenas e africanas. O simbolismo disfarçado dos objetos e das artes era uma forma de mostrar o sentido elevado da realidade, da natureza e do mundo espiritual. Um acontecimento histórico e real poderia ser visto como uma alegoria dos atos de Deus sobre os homens ou do sobrenatural sobre as atividades humanas. O cosmos não se manifestava apenas por palavras, mas também por atos e imagens. Para a igreja cristã que se estabelecia no Brasil, os saberes dos autores clássicos e a tradição medieval seriam os reais antecipadores da religiosidade católica romana, mas, e ao mesmo tempo, crenças, rituais e visões de mundo de indígenas e africanos comporiam a identidade e a mentalidade cultural, religiosa e artística desse mesmo território. Esses valores se firmariam mesmo durante o século XIX, já com a presença da corte no Brasil e a instalação da estética neoclássica. Seus rastros podem ainda ser sentidos em pleno Brasil República. O curso está centrado assim na interpretação da tradição artística brasileira por meio do estudo de sistemas de crenças, rituais e discursos simbólicos. Vamos pensar como se unem culturalmente racionalidade/irracionalidade; sagrado/profano; crenças/rituais; arte/religião. O objetivo do curso é entender como a arte no Brasil possibilitou um fenômeno marcado fundamentalmente pela transcendência (mitos, crenças, visões, ritos e magia) e como, muitas vezes, esse discurso ficou camuflado sob outros temas ou obras socialmente aceitos.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Apresentar as crenças, os rituais, o oculto e o conhecimento cosmológico como material reflexivo para o entendimento da arte e da cultura brasileira;
  • Analisar, criticar e contextualizar a arte por meio das regras de composição do discurso que incluíam o pensamento simbólico e místico;
  • A arte em modelos, tratados, protocolos e o uso dos diversos discursos para a composição e a produção da arte.
  • Mostrar a arte como um campo interdisciplinar do conhecimento: Literatura, História, Filosofia, Sociologia, Antropologia, Psicologia, Teologia etc.;
  • Escolher temas específicos para diversos trabalhos de pesquisa e estimular a produção de projetos em que a utilização da arte esteja presente.

 

PROGRAMA

AULA 1– A descoberta do Brasil pelos europeus: céu, inferno ou purgatório
A Europa do século XVI. Portugal dos Descobrimentos. A expansão do cristianismo pelo mundo e o espírito de cruzada. O estilo manuelino. A Terra de Santa Cruz. As primeiras igrejas.

AULA 2 – A visão do Paraíso: experiência e fantasia
Os descobrimentos do interior do Brasil. Visões de riquezas, serras brilhantes, pedras preciosas e os rios do Éden.  Histórias de caminhos, seres fantásticos e cavaleiros de outrora.  A representação material e imaterial do lugar onde Deus pusera a América portuguesa. As primeiras imagens produzidas.

AULA 3 – O Paraíso Perdido
A América “diabólica”. A antropofagia ritual dos índios. O tráfico de escravos e os saberes vindos da África. A violência colonial. Jogos de coerção e resistência. O castigo exemplar: a diabolização do índio e do negro. Um povo pecador para uma economia santa.

AULA  4 – A expansão do cristianismo no Brasil: Ordens Religiosas, Ordens Terceiras e Irmandades
A história do Cristianismo no Brasil. As Ordens religiosas, suas origens europeias, as devoções e o fazer artístico de seus religiosos. A tradição das ordens terceiras e das irmandades do Brasil colonial. As associações religiosas de irmãos leigos: patronos, festas, sociabilidades e o fazer artístico. O Barroco como arte pedagógica e o mundo como objeto de decifração dos desígnios divinos. O regramento da religiosidade e da superstição.

AULA 5 – Práticas mágicas e vida cotidiana
Infrações, heresias, degredos e mentalidades. Pactos, calundus, catimbós, possessões, adivinhações, curas, bolsas de mandinga, orações, sonhos e metamorfoses. A importância da América para a bruxaria europeia. Conceitos de heresia e doutrina da punição. O medo da Inquisição.

AULA  6 – Espiritualidade e saúde
Relações mente/corpo. Distúrbios. Enfrentamento religioso/espiritual. Espiritualidade e saúde mental. Cura e fé. Promessas e Benzeduras.  Medicina popular. Plantas Ritualísticas, plantas alucinógenas, plantas para incensar, benzer e proteger. Plantas alimentícias, medicinais e tóxicas. Representações do corpo e práticas de cura entre sistemas religiosos e cosmológicos de rituais xamânicos, religiões afro-brasileiras e medicina popular. O uso simbólico das plantas no cotidiano. A linguagem das flores e das frutas.  As plantas na arte barroca brasileira. Ex-votos e arte.

AULA 7 – Os amores ambíguos
As aventuras do corpo. Feiticeiras, alcoviteiras, cartas, orações e sortilégios. As moralidades depois do Concílio de Trento. O domínio da sexualidade transgressiva. A Inquisição.  A prática da delação e as fofocas na sociedade colonial. A arte que pretende doutrinar os corpos. Os casamentos místicos.

AULA 8 – As revelações místicas
Biografias de homens, mulheres e santos. José de Anchieta e a catequização. Frei Galvão e as pílulas para a cura. A Nossa Senhora encontrada nas águas do rio. Rosa Egipcíaca e as visões em Minas Gerais. Os ermitões e a Serra da Piedade. A hagiografia e a mariologia colonial. Os santos como padrão para a arte. As visões como padrão para a arte.

AULA 9 – Religiosidade Popular
O sagrado e o profano. Festas religiosas populares. As devoções e a arte negra. Festa de São João. Festa do Divino. Círio de Nazaré etc. Os diálogos artísticos e a inserção da arte.

AULA 10 – Os espíritos na corte brasileira
Os mortos governando os vivos. Os encontros sociais. O Espiritismo e as mesas volantes. Imortalidade da Alma. Reencarnação. Mediunidade. As ideias que vieram da França. Sociedades e fraternidades ocultistas.  O Hermetismo e o Ocultismo como sinônimo de cultura e letramento

AULA 11 – O Império no Brasil: Literatura Romântica e Artes Plásticas
A busca por textos medievais. Decifrar significações tidas como verdades sagradas, ocultas na natureza, nas palavras e nos discursos. O sentido espiritual de textos e de imagens. A linguagem figurada dos textos das Escrituras. A interpretação do sagrado que se esconde nas coisas da natureza e nas coisas dos homens. Apropriações na arte das culturas americanas e europeia

AULA 12 – Brasil Republicano: Ciência x Religiosidade
A Proclamação da República e a construção dos grandes mitos. Manifestações da crença na vinda ou retorno de um divino libertador: Juazeiro, Canudos, Contestado. A arte relendo a História do Brasil: Tiradentes como mártir, os profetas de Congonhas e a Inconfidência Mineira. O uso simbólico e religioso de vultos históricos brasileiros pela arte. A História transcendente. Apropriações na arte do discurso científico e religioso.

 

A QUEM SE DESTINA

O conteúdo oferece embasamento para estudiosos de Arte, historiadores, profissionais ligados à literatura e comunicação social, religiosos, pesquisadores, professores que pretendam desenvolver o tema em sala de aula, profissionais de todas as áreas, estudantes universitários e interessados em geral.

 

DOCENTE

Marcos Horácio Gomes Dias é Doutor em História Social pela PUC-SP; Mestre em História Social pela USP; pós-graduado em Arte e Cultura Barroca pelo Instituto de Filosofia, Arte e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e Bacharel em Ciências Sociais pela USP. Tem experiência na área de História e Sociologia, com ênfase em História, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Arte; História do Barroco e do Rococó; Arte e Cultura em Minas Gerais; Neoclássico, Império e século XIX no Brasil; Teoria da Cultura; Patrimônio Histórico; História da Produção da Imagem; Teoria da Comunicação e Realidade Socioeconômica e Política Brasileira.

 

PERÍODO

Datas: de 03 de março a 26 de maio. (Quartas-feiras)
Horário: das 19 às 22h
36h de curso

 

INVESTIMENTO

R$ 600,00 à vista ou R$ 690,00 (03 vezes)
Vagas – limitadas

 

INSCRIÇÕES

As inscrições devem ser feitas pelo email mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393 – 11 98174-3483

 

CERTIFICADO

O certificado será emitido digitalmente e disponibilizado em seu perfil aqui na plataforma MAS Educação (é imprescindível o cadastro no site).

Avaliações do Curso

N.D

classificações
  • 5 estrelas0
  • 4 estrelas0
  • 3 estrelas0
  • 2 estrelas0
  • 1 estrelas0

Nenhuma avaliação foi encontrada para este curso.

0 ALUNOS INSCRITOS

    Burcar Cursos

    Museu de Arte Sacra de São Paulo © 2020.
    Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
    X